⭕ AVALIAÇÃO QUANTITATIVA – Higiene Ocupacional

Postado em Atualizado em

Avaliação Quantitativa

A partir do reconhecimento dos riscos químicos, físico e biológicos, pode-se estabelecer uma estratégia de amostragem, pela qual se estabelece o número de amostras e funcionários a serem avaliados, dias e períodos a serem medidos, equipamentos a serem utilizados na coleta de amostras, análises químicas e estatísticas a serem efetuadas.

🔘 Basicamente, a população deve ser dividida em grupos homogêneos em relação ao risco e em cada grupo é feita uma amostragem adequada segundo critérios estatísticos, geralmente segundo o  Manual de Estratégias de Amostragem do NIOSH.

❇ Dependendo do agente em questão e das condições do local e atividade, será determinado um equipamento para coleta e análise, que poderá ser:

🔹Um simples equipamento de avaliação direta, como tubo indicador ou instrumento de medida instantânea, no caso dos metais pesados o único disponível é para mercúrio.

Imagem relacionada

Equipamento de coleta de amostra que separa o contaminante do ar para posterior análise laboratorial, sendo os mais comuns por filtração em membranas de esteres mistos de celulose.

🔘 As análises mais comuns para o material coletado são por espectrofotometria de absorção atômica, ou ainda espectroscopia de emissão de plasma.

Para cada trabalhador amostrado dentro de um grupo homogêneo é calculada ou estimada a média ponderada pelo tempo (individual).

Amostrador (Fumos Metálicos)

A seguir é calculada uma média geométrica que é atribuída ao grupo como um todo.

🔘 Desta forma, verifica-se que avaliação ambiental não é uma atividade simples de medição de concentração, muito mais que medir a concentração de um agente químico no ar, deve-se estimar a exposição ocupacional a este agente.

Considerando este âmbito bem maior, na prática da Higiene Ocupacional diversas questões são freqüentemente formuladas e que deveriam ser respondidas adequadamente, sob pena de se comprometer todo o processo de avaliação.

❇ Exemplos:

🔹Onde avaliar?
🔹Quantas amostras coletar?
🔹Quantos funcionários avaliar?
🔹Por quanto tempo coletar uma amostra?
🔹Quando avaliar novamente?
🔹A avaliação ambiental deve ser simultânea com a avaliação biológica?

🔘Para responder estas e outras questões similares, deve-se planejar o processo de avaliação e executa-lo adequadamente.

Resultado de imagem para avaliação química

❇ Para tal, diversas etapas devem ser seguidas de forma sistemática:

🔹Definição do objetivo da avaliação.

🔹Conhecimento dos locais de trabalho e atividades a avaliar.

🔹Identificação das substâncias presentes e reconhecimento do risco de exposição.

🔹Definição da estratégia de amostragem.

🔹Coleta de amostras.

🔹Análise do material coletado.

🔹Cálculos dos resultados e estimativa da exposição ocupacional.

🔹Comparação com limites de exposição ocupacional.

🔹Comparação com os dados da avaliação e monitorização biológica.

Objetivos de uma avaliação

❇ Uma avaliação ambiental poderá ter diversos enfoques, tais como:

🔹Descobrir o que está causando determinados sinais ou sintomas nos funcionários.

🔹Atender uma reclamação trabalhista, ou notificação de um agente de fiscalização.

🔹Caracterizar a insalubridade do ponto de vista legal.

🔹Identificar as substâncias eventualmente presentes.

🔹Verificar a eficiência de uma medida de controle instalada.

🔹Realizar avaliação prevista no PPRA e dentro de um programa de monitorização ambiental e biológica.

🔘 No primeiro caso, é muito difícil para o higienista ir a um local de trabalho no presente a fim de avaliar a exposição ocupacional que ocorreu no passado e que provocou os sinais e sintomas agora detectados em um funcionário.

Não que seja de todo impossível, mas será sempre uma estimativa, partindo-se da premissa que o observado hoje será bastante próximo do que aconteceu no passado.

🔘 Idealmente deve-se ter um programa de monitorização ambiental e biológica com uma série histórica de dados que permita a qualquer tempo estabelecer, ou não, o nexo causal entre a exposição ocupacional e eventual quadro clínico ou reclamação trabalhista.

Dentro de um programa de Higiene e Toxicologia Ocupacional as avaliações são realizadas de forma sistemática e repetitiva de modo a acompanhar a exposição ocupacional e introduzir medidas de controle sempre que necessário.

Resultado de imagem para avaliação agente química
(Foto Carlito Carlos Ramos – Linkedin)

Numa situação ideal, sempre que necessário, a qualquer momento, qualquer membro da equipe de Saúde do Trabalhador ou o próprio trabalhador pode ter acesso às informações e resultados das avaliações ambientais e biológicas que foi submetido, inclusive de acordo com a portaria 3214, NR-1.

❇ Conceitos úteis:

🔘 Amostragem

é o conjunto de procedimentos empregados na coleta de amostras representativas da exposição ocupacional, que permitem obter resultados com confiabilidade determinada em função da precisão e exatidão das técnicas utilizadas.

🔘 Coleta de amostras

é o procedimento prático de coletar uma porção do agente químico, geralmente presente na atmosfera e na zona respiratória de um funcionário, com equipamento de coleta específico.

🔘 Avaliação da exposição ocupacional

é a medida da concentração no ar de uma dada substância, que representa a exposição do trabalhador, seguida de comparação com um padrão adequado, geralmente o Limite de Exposição Ocupacional.

🔘 Monitorização Ambiental

é a avaliação da exposição ocupacional realizada de forma sistemática e repetitiva, visando a introdução ou modificação de medidas de controle sempre que necessário.

Identificação do agente e reconhecimento do risco

Tão importante como porque avaliar é saber o que avaliar.

Entre as milhares de substâncias químicas potencialmente presentes em um local de trabalho, devemos ter certeza do que procuramos.

É comum o laboratório de Higiene Ocupacional receber amostras com a solicitação de análise genéricas, como de fumos metálicos, sem especificar quais metais estão presentes, ou ainda, felizmente com menos freqüência, solicitar análise de “agente químico”, que não diz nada, apenas que o solicitante não sabe o que existe no local que pretende avaliar.

Conhecimento dos Locais de Trabalho e Atividades a Avaliar

Uma vez conhecida a substância devemos conhecer o local e as atividades envolvidas a fim de determinar os fatores intervenientes na exposição e levantar os dados básicos para a elaboração de uma estratégia de amostragem.

Não existe um procedimento único de avaliação que pode ser aplicado a todo e qualquer caso, pois diversos são os fatores intervenientes na exposição e na avaliação.

Deve-se ainda realizar a avaliação de tal forma que permita sua reprodução no futuro, dentro de um programa de monitorização e origine resultados comparáveis ao longo do tempo.

Resultado de imagem para avaliação agente química

❇ Assim, com relação aos locais de trabalho e atividades a avaliar deve-se conhecer detalhadamente os seguintes itens:

🔹Área

🔹Número de Expostos

🔹Funções, Tarefas ou Atividades.

🔹Turnos, Turmas e Horários de Trabalho.

🔹Movimentação de Materiais e de Pessoal.

🔹Freqüência e duração da Exposição

🔹Ritmo de Trabalho e Produção

🔹Ventilação e Condições Climáticas

🔹Fatores intervenientes na coleta de amostras

Estratégias de amostragem.

Estratégia de amostragem é o conjunto de procedimentos elaborados de forma sistemática que estabelece os métodos e técnicas de coleta de amostras.

❇ Durante o processo de elaboração de uma estratégia devemos contemplar os seguintes tópicos:

🔹Equipamentos para coleta.

🔹Método empregado.

🔹Pessoal necessário para acompanhamento das coletas.

🔹Amostras pessoais ou em pontos fixos.

🔹Avaliações de funcionários e de funções.

🔹Grupos Homogêneos de Exposição (GHE)

🔹Número de funcionários a serem amostrados em cada GHE.

🔹Número de amostras a serem coletadas em cada funcionário e tempo de coleta.

🔹Dias e horários em que serão coletadas amostras

🔹Conservação e remessa de amostras.

⚡As estratégias de amostragem devem ser elaboradas de forma tal, que ao se obter um resultado permitam direcionar as medidas de controle, indicando os locais ou momentos em que devem ser realizadas as intervenções.

Resultado de imagem para avaliação agente química

Coleta e análise de amostras

Dependendo da forma que uma substância se encontra na atmosfera, de suas propriedades físicas e químicas e ainda do tempo de coleta de amostra necessário, diversos meios de coleta podem ser empregados.

Um simples equipamento de avaliação direta, como tubo indicador ou instrumento de medida instantânea, no caso dos metais pesados o único disponível é para mercúrio.

Resultado de imagem para avaliação agente química

Equipamento de coleta de amostra que separa o contaminante do ar para posterior análise laboratorial, sendo os mais comuns por filtração em membranas de esteres mistos de celulose.

As análises mais comuns para o material coletado são por espectrofotometria de absorção atômica, ou ainda espectroscopia de emissão de plasma.

FONTE: http://sestconsultoria.com.br/avaliacao-quantitativa/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s